Agende Uma Avaliação Gratuita

O medo de altura – também chamado de acrofobia – consiste em um sentimento de medo irracional e exagerado de locais altos.

É uma condição emocional que atinge de 2% a 5% da população mundial, sendo que as mulheres apresentam duas vezes mais esse distúrbio quando em comparação com os homens.

Quem sofre de acrofobia sente um medo de altura extremo que pode paralisar ou causar ataques de pânico e agitação. Mas o que causa essa fobia tão intensa? Veja neste post quatro razões que fazem com que as pessoas sintam medo de altura.

1. Exposição a locais altos e desprotegidos

Algumas pessoas manifestam mal-estar e podem inclusive ter ataques de pânico ao estarem em locais altos e desprotegidos (sem cercas e grades de proteção, por exemplo).

Isso se dá tanto pelo medo de queda causada pela falsa sensação de que você não pode confiar no seu equilíbrio, como pelo medo de não se controlar e se atirar lá de cima.

Também é comum a fobia em locais com proteção, mas que permitem olhar a altura, como mirantes, salas e elevadores de vidro, entre outros.

2. Experiência traumática com altura ou queda

O medo de altura também pode ser causado por experiência traumáticas vividas no passado e que envolvem queda ou altura.

Na infância, ao viver um trauma ou até observar uma reação exagerada de outra pessoa ao ser submetida a alturas elevadas, o medo pode persistir na vida adulta e se transformar na acrofobia, que prejudica diversos aspectos na vida de quem possui o problema.

3. Medo de altura como mecanismo evolutivo de sobrevivência

Uma das razões que faz com que as pessoas tenham medo de altura é o mecanismo evolutivo de sobrevivência desenvolvido pelos mamíferos.

Até certo ponto é normal – e conveniente – ter medo de altura. É um sinal de que você está exposto a uma situação potencialmente perigosa.

No entanto, para algumas pessoas, o medo se transforma em fobia fazendo com que o indivíduo perca o controle e desenvolva um medo extremo e muitas vezes infundado de locais altos.

Alguns sintomas experimentados por quem tem acrofobia são vertigem, pânico, sudorese excessiva, palpitações cardíacas, tremedeira, choro, entre outros.

4. Razões emocionais por trás do medo de altura

Muitas vezes, o medo de altura tem razões de fundo psicológico e emocional que ficam ocultos e só podem ser descobertos com terapia ou tratamento de regressão feito com hipnose clínica.

A negação ou privação de atitudes de liberdade ou espontaneidade, receio da própria impulsividade, medo de assumir a si próprio, de se expressar ou se arriscar são alguns dos sentimentos que podem estar por trás do medo de altura.

Especialistas afirmam que a acrofobia também está relacionada à necessidade de desenvolver mais autoconfiança e aproveitar melhor o seu potencial.

Quem tem medo de altura tem a vida social e profissional prejudicada. Muitas pessoas não conseguem estar em andares mais altos de edifícios, se privam de passeios e atividades com amigos e familiares, entre outros transtornos.

A acrofobia pode ser resolvida através de terapia, hipnose clínica , portanto, se você sofre com o medo de altura, não deixe de procurar ajuda e tenha uma vida mais equilibrada e saudável.

Você tem medo de altura? Já procurou saber quais razões te levam a ter acrofobia? Compartilhe suas experiências nos comentários.

 

A síndrome do pânico é uma doença de diagnóstico difícil, na maioria das vezes seus sintomas e sinais são confundidos com outros problemas de saúde. Por isso, após o diagnóstico de um médico especialista, é preciso iniciar o tratamento para que os efeitos causados na vida de quem carrega a síndrome sejam amenizados e a doença controlada.  

O que é a síndrome do pânico?

O distúrbio psicológico conhecido como síndrome do pânico é uma condição que expõe a pessoa a crises intensas de medo, angústia e terror. Uma crise pode iniciar de maneira inesperada, não sendo necessário que haja um estopim para ocorrer. Quem convive com a síndrome tem que lidar não só com o momento em que as crises acontecem, mas também com a angústia de não saber quando ocorrerá a próxima.

Principais sintomas

Os sintomas da síndrome do pânico são facilmente confundidos com outras doenças, porque se manifestam fisicamente de maneira intensa:

No momento de uma crise de pânico, um ou mais sintomas podem se manifestar. Em casos mais intensos, um dos sintomas mais comuns é a sensação de morte, que acontece de maneira intensa, levando o paciente a crer que está prestes a morrer.  

Diagnóstico correto

Por ter sintomas que podem indicar outras doenças, o diagnóstico da síndrome do pânico deve ser bem avaliado por um especialista. Realizar o diagnóstico é de extrema importância para a saúde do paciente. Caso o problema não seja tratado, pode evoluir para quadros de fobias graves, que podem levar a uma parada na vida do indivíduo, pois muitas vezes acaba o incapacitado de seguir com as atividades rotineiras da vida, como trabalhar, sair com amigos ou mesmo ir ao supermercado.

Como a hipnose clínica pode te ajudar

A síndrome do pânico pode surgir após uma situação traumática vivida pelas pessoas. Essa situação pode ser uma violência sofrida, como assalto, assim como um acidente, entre outras. A situação estopim para o desenvolvimento da síndrome ocorre na maioria dos pacientes. Dessa forma, ela está diretamente ligada a uma lembrança vivida pelo paciente, o que torna o tratamento com a hipnose clínica eficiente.

A hipnose clínica atua de maneira a reverter o efeito de uma lembrança, tornando o caso traumático em uma passagem com efeito normal nas emoções da pessoa. O tratamento com a hipnose clínica pode ajudar pacientes com a síndrome do pânico, pois é possível encontrar a lembrança que desencadeou o problema e trabalhar na ressignificação.

Dessa forma, é possível fazer esse tratamento complementar, alterando a forma de como a lembrança afeta a vida da pessoa. Diferente de outros tratamentos, com a hipnose clínica, a chance de o problema retornar é muito pequena.

A síndrome do pânico pode acontecer pela primeira vez a qualquer momento e será necessário que ocorram alguns episódios para que o diagnóstico seja feito, pois ela se caracteriza pela recorrência. É preciso ficar atento aos primeiros sinais e ao perceber a repetição da crise buscar ajuda para realizar o diagnóstico correto.

Um dos problemas com o qual a síndrome pode ser confundida é com a fobia social. Entenda as diferenças e relações entre elas, em meu outro artigo.

Somente quem pode diagnosticar uma doença mental é o médico ou o psicólogo –  o hipnólogo clínico pode atuar de maneira complementar e natural.

Dormir bem é fundamental para ter um dia produtivo. É nessa hora que desligamos o corpo e a mente para repor as energias perdidas durante o dia que se passou. Por isso, problemas para dormir afetam nossa vida de maneira devastadora, baixando a produtividade e o ânimo para o dia a dia. Superar os problemas para dormir é essencial para ter uma vida saudável e com um bom desempenho nas atividades diárias.

Confira como superar o problema de insônia com a hipnose clínica.  

O que é a insônia?

A insônia é um distúrbio do sono que pode se caracterizar tanto pela dificuldade em dormir, quanto pela facilidade em despertar ao longo da noite. A insônia também pode ser causada por outras doenças, dessa forma é preciso tratar também a doença que causou a insônia.  

Por não conseguir dormir durante a noite, quem sofre de insônia já começa o dia cansado. Dessa forma, mau humor, falta de energia e irritabilidade são características comuns de quem possui o problema. Por ser um problema que afeta diretamente a vida de quem convive com ele, é preciso tratar a insônia para reduzir seus efeitos sobre a rotina.

O que é a hipnose clínica?

A hipnose clínica é uma forma de tratamento que utiliza a própria mente para detectar causas e assim reverter seu efeito sobre a vida do indivíduo. O tratamento realizado por um hipnólogo clínico é feito com base no estado de transe, no qual a pessoa se mantém consciente, em um momento de concentração absoluta, em que consegue canalizar e direcionar os pensamentos pelos caminhos desejados.  

O objetivo da hipnose clínica é encontrar a experiência, por meio das lembranças, que gerou o problema em questão. A partir disso, a lembrança será trabalhada de maneira a não atrapalhar mais a vida da pessoa. Por ser uma prática que envolve a condução da mente e a ressignificação de lembranças, deve ser feita por um profissional qualificado de maneira séria.  

Como superar o problema de insônia com a hipnose clínica?

A hipnose clínica é utilizada em tratamentos de diversos problemas, entre eles a insônia. Isso porque, muitas vezes, a insônia é resultado de algum trauma ou situação difícil na vida da pessoa. Dessa forma, ela irá ajudar a encontrar o gatilho do problema e assim tratá-lo para que não afete mais o sono.

Em muitos casos, o problema não está ligado diretamente ao ato de dormir ou mesmo ao período noturno. A noite é o momento mais afetado porque é quando o indivíduo diminui o ritmo e começa a se preparar para um estado de relaxamento. É exatamente nesse momento que lembranças ruins, medos ou aflições acabam afetam, mesmo que de maneira inconsciente, o descanso. Dessa forma, vencer o problema de insônia com a hipnose clínica é uma maneira mais natural, pois não necessita de remédios, e também mais eficiente, pois acaba definitivamente com o problema.

Superar o problema de insônia com a hipnose clínica é possível e é indicado para quase todas as pessoas, pois não é um tratamento invasivo.

Se você possui problemas para dormir, entre em contato e saiba como podemos te ajudar a superar o problema de insônia com a hipnose clínica, melhorando sua qualidade de vida com o tratamento.

 

A sexualidade é uma importante função para a vida da maioria das pessoas adultas, por isso, problemas que impedem o pleno funcionamento da atividade sexual podem gerar transtornos à vida do indivíduo. Existem cinco possibilidades de causas da impotência sexual, ela pode ser orgânica, emocional, hábitos ruins, uso excessivo de alguns medicamentos e ainda ao excesso de peso.

Entenda melhor como a impotência sexual pode ocorrer:

Causas da impotência sexual ligadas ao emocional

As causas da impotência sexual ligadas ao emocional podem ser variadas, desde a ansiedade e o medo, relacionados ao ato sexual em si e ao medo de decepcionar a parceira, até mesmo problemas externos que podem afetar a vida do homem, como problemas financeiros, estresse, etc.

A maioria dos casos de impotência sexual estão relacionados a causas emocionais, o que não significa necessariamente, que será mais fácil solucionar o problema, pois é preciso antes de mais nada encontrar a causa exata.  

Causas orgânicas

As causas da impotência sexual de origem orgânica também podem ser variadas, entre elas a vascular de origem arterial, a hormonal e as alterações anatômicas do pênis. A mais comum é a hormonal, que em geral está relacionada ao envelhecimento ou a outros problemas relacionados a baixas na testosterona.

Já no que se refere a problemas vasculares, o que pode ocorrer é uma ereção que não consegue se manter por muito tempo, devido à pouca capacidade em enviar sangue para as regiões necessárias.

Causas relacionadas a hábitos de vida ruins

Alguns hábitos como o uso excessivo de álcool, de drogas e o tabagismo podem ser causas da impotência sexual. Entretanto, diferente das duas primeiras, nesse caso o problema de impotência pode ser pontual, não se estendendo a todas as relações sexuais, nem a um período longo na vida do indivíduo.  

Causas relacionadas ao uso de alguns medicamentos

Alguns remédios podem causar efeitos colaterais que podem ser uma das causas da impotência sexual. Medicamentos como antidepressivos, antipsicóticos e ainda anti-hipertensivos em doses elevadas podem causar problemas no desempenho sexual. Assim como no caso de hábitos ruins, eles podem se normalizar com a suspensão do medicamento, porém, todo o processo deve ser acompanhado pelo médico.  

Causas relacionadas ao excesso de peso

O funcionamento pleno das funções sexuais podem sofrer alterações relacionadas ao excesso de gordura corporal. Por isso, pessoas obesas ou com excesso de peso, podem sofrer de impotência sexual ou mesmo apresentar um baixo desempenho sexual por causa da condição do corpo.  

A busca por um médico deve ser o primeiro passo para descobrir qual das causas da impotência sexual é a que está afetando seu desempenho. A partir disto é possível buscar o melhor tratamento.

Em alguns casos, como as causas emocionais principalmente, existem terapias alternativas, que não envolvem remédios e que possuem um efeito mais rápido e duradouro.

Uma dessas terapias é a hipnose clínica. Nela é possível encontrar qual foi o gatilho que desencadeou o problema emocional relacionado ao desempenho sexual, e assim, tratá-lo de maneira eficiente eliminando-o da sua vida.  

Sofre com a impotência sexual? Então entre em contato conosco e saiba como a hipnose clínica pode te ajudar no tratamento e eliminar as raízes do problema.  

Apesar de estar cada vez mais incorporada aos tratamentos complementares, a hipnose clínica ainda gera dúvidas. Muitas pessoas guardam em seu imaginário aquela imagem do homem com turbante na cabeça, segurando um pêndulo e pedindo para que o hipnotizado faça tudo o que ele quer.

Para esclarecer o que é de fato a técnica, neste artigo apresentarei os sete mitos da hipnose clínica. Recorrer a ela tem ajudado as pessoas a tratar dos mais variados problemas que vão desde transtornos de ansiedade a parar de fumar.

1. Mitos da hipnose clínica: o hipnotizador tem total poder sobre o hipnotizado

Esse é um dos mitos da hipnose clínica que mais assusta. Afinal, quem quer estar totalmente vulnerável? A técnica consiste em levar a pessoa a um estado modificado de consciência, mas ela sabe tudo o que está acontecendo.

O hipnólogo clínico consegue reduzir a inibição, fazendo com que a pessoa se torne mais sugestionável, mas não ao ponto de tomar atitudes somente com base no que está sendo dito durante a consulta.

2. A sensação é a mesma do sono

Há uma semelhança entre a hipnose e o sono, pois os dois levam a pessoa a um estado modificado de consciência. No entanto, quando estamos dormindo não conseguimos interagir com o nosso entorno e nem lembramos do que aconteceu durante o repouso. Em resumo não há o controle.

O mesmo não se pode dizer da hipnose que modifica a consciência, mas a pessoa continua presente e tem certo controle do que faz e diz. Mais um dos grandes mitos da hipnose clínica.

3. As pessoas podem não voltar do estado de hipnose

Talvez muitas pessoas não saibam, mas podemos entrar no estado modificado de consciência, como a hipnose, todos os dias. Isso acontece quando focamos tanto em algo que nada mais é percebido.

Portanto, é uma ação natural do corpo e por isso não tem qualquer chance de uma pessoa ser hipnotizada e continuar assim a vida toda.

4. Não é possível lembrar do que foi dito

Como já expliquei anteriormente, a hipnose clínica não vai deixar a pessoa totalmente vulnerável e sim sugestionável a novas ideias, percepções. Portanto ela tem a capacidade de lembrar de tudo.

Ninguém vai contar segredos durante a consulta, a não ser que queira.

5. Meditar é a mesma coisa

Um dos mitos da hipnose clínica é achar que meditar e hipnotizar são as mesmas coisas. Apesar de levarem a pessoa a um estado modificado de consciência, seus objetivos são diferentes.

Enquanto a meditação é uma forma de treinar a mente para relaxar e se livrar de maus pensamentos, a hipnose clínica tem o objetivo de provocar mudanças. Por meio de sugestão, pessoas podem tratar vários problemas emocionais.

6. Durante a hipnose é possível apagar memórias antigas

De forma alguma o hipnólogo clínico pode apagar as memórias de alguém. O que ele faz é sugerir uma nova percepção delas. Em alguns casos, pode ser que a pessoa até se esqueça de um determinado evento, porém ela lembrará depois de algum tempo, mas de forma diferente, resolvendo aquele problema emocional.

Como disse, o hipnólogo clínico não faz o que bem quer com o hipnotizado. Na realidade, tudo depende mais da permissão de quem se submete a técnica e não o contrário.

7. Uma única consulta tem poder de resolver o problema

Pode ocorrer, mas, na hipnose clínica a solução dos problemas em uma única consulta não é comum. Como tantas outras terapias, é preciso tempo necessário para alcançar o resultado esperado.

A técnica exige a entrega do paciente e confiança no profissional. É preciso atravessar etapas para que o processo surta efeito.

Esses são alguns dos mitos da hipnose clínica. E como você, leitor, pôde perceber, trata-se de uma técnica muito segura e eficaz no tratamento de diversos males. Para conhecer mais sobre o tema, continue acompanhando os nossos artigos.

Se tiver outras sugestões, deixe aqui o seu recado.

A hipnose ainda é uma técnica que desperta a curiosidade das pessoas. Apesar de já estar inserida no campo de terapias complementares há muito tempo, nem todos têm acesso a esse método.

Para informar as pessoas a respeito, neste artigo apresento seis curiosidades da hipnose clínica. Assim ficará mais fácil entender do que se trata e perceber como ela pode ajudar nos mais diferentes casos.

1. A hipnose acontece naturalmente

A hipnose consiste em entrar num estado modificado da consciência. Exemplo disso é quando focamos tanto em algo que nem escutamos o que está ao nosso redor. É como se estivéssemos sonhando acordados.

O que acontece é uma espécie de bloqueio da ação da parte consciente da mente. Portanto ninguém sai do corpo ou perde totalmente a razão.

Agora você já sabe. Quando disserem que você está “viajando” pode ser que esteja em um estado de hipnose.

2. A hipnose clínica depende mais do hipnotizado do que o hipnotizador

Uma das curiosidades da hipnose clínica, e que pouca gente sabe, é que o método depende muito mais de quem está sendo submetido a ele, do que aquele que está no comando.

Isso porque a pessoa precisa estar totalmente focada, a fim de que o procedimento dê certo. Como expliquei anteriormente, é um estado modificado da mente, mas que mantém a pessoa presente.

Sendo assim, ela precisa colaborar, pois do contrário o hipnólogo não alcançará os resultados esperados.

3. Pode ajudar a tratar vários problemas

A hipnose clínica é capaz de ajudar pessoas com problemas emocionais como a depressão, o transtorno de ansiedade, a bulimia e a anorexia. Também é opção para dependentes químicos e quem sofre com o medo de viajar de avião e falar em público.

O fato de a técnica acessar memórias e sensações muitas vezes imperceptíveis ajuda as pessoas a se livrarem de todos esses males. Afinal, muitos desses sofrimentos têm relação com algo vivido ou sentido no passado e, que não foi devidamente processado.

4. É utilizada há muitos séculos

Entre as curiosidades da hipnose clínica, o fato de ela ser utilizada há muitos séculos, chama a atenção. Há registros de que técnica era usada no Egito Antigo, num local chamado templo do sono.

Nesses espaços, as pessoas eram submetidas ao sono mágico e acordavam curadas de seus problemas. Os sacerdotes é que conduziam todo o ritual, acompanhado por danças. Há outros relatos da utilização da hipnose nas culturas Maias e Astecas.

5. A hipnose como conhecemos

Outra das curiosidades da hipnose clínica é que ao longo dos séculos a técnica e sua utilização foram sendo aprimoradas. No passado chegavam a usar imãs durante o procedimento, o que hoje se sabe, não tem qual relação com a prática.

6. Uma das curiosidades da hipnose clínica é a origem do nome

A origem do nome é mais uma das curiosidades da hipnose clínica. Surgiu entre os séculos XVIII e XIX, quando não se sabia tão bem como a técnica funcionava.

De origem grega “hipnos” significa sono. Já “osis” que, vem do latim, quer dizer “ação”. Apesar de a pessoa hipnotizada não estar exatamente dormindo, é uma ação semelhante.

Essas seis curiosidades da hipnose clínica demonstram como ela tem sido utilizada ao longo da história e desmistifica um pouco o seu uso. A técnica aplicada hoje, logicamente, foi aprimorada e por isso tem ajudado pessoas que sofrem dos mais diversos males.

Se você gostou deste artigo, deixe aqui o seu comentário. No meu blog você também pode sugerir outros temas relacionados a hipnose clínica.

 

A hipnose clínica tem sido cada vez mais procurada para tratar diversos problemas emocionais. Uma pesquisa publicada na American Health Magazine mostra que em comparação a outras terapias, ela consegue obter resultados bastante positivos.

Na Rede Clínica da Hipnose, que possui método próprio desenvolvido pelo hipnólogo Clínico Professor Baitello, em cinco consultas ou cinco semanas de tratamento, 93% das pessoas submetidas a técnica alcançaram a recuperação total de seus problemas emocionais.

Esse é apenas um dos estudos, mas cotidianamente é possível perceber os resultados do método. Sendo assim, podemos afirmar que a hipnose clínica funciona. Mas, para que ela realmente faça efeito é necessário procurar por uma clínica especializada com profissionais capacitados para desenvolver a técnica como é a Rede Clínica da Hipnose que já atendeu mais de 5.000 pessoas com esse resultado de 93%.

Por que a hipnose clínica funciona?

Para responder, primeiro vou explicar o que é a técnica. A hipnose clínica consiste em levar o hipnotizado a um estado modificado de consciência, semelhante ao que acontece quando estamos dormindo. Mas, diferente do sono, a pessoa fica totalmente concentrada nos que está dizendo o hipnólogo clínico. A pessoa, porém, continua presente, ou seja, fica acordada durante o processo.

A hipnose clínica funciona porque consegue acessar a mente inconsciente, deixando-a mais sugestionável – mas a pessoa é que está sempre no controle. Assim, o hipnólogo clínico pode mudar a percepção diante do problema a ser tratado.

Em alguns casos, o gatilho para o comportamento que gera o problema está em memórias do passado. Por isso, quando a pessoa passa por algo semelhante pode ter a mesma sensação novamente, ainda que não consiga fazer a conexão com o que aconteceu.

A hipnose clínica funciona não é invasiva e pode ser aplicada para praticamente todas as pessoas. Algumas estão mais suscetíveis ao tratamento e por isso atingem o objetivo mais rápido. O segredo está na concentração e na disponibilidade em encarar o tratamento.

Para o tratamento dar certo

Em grande parte dos casos, a hipnose clínica funciona já nas primeiras consultas. Mas há uma combinação de fatores para que ela realmente dê certo. O primeiro é realizar a técnica em uma clínica especializada que conte com profissionais devidamente capacitados para exercer a função. Esse é o local certo para se submeter a técnica.

Por isso é necessário pesquisar o local onde irá realizar o tratamento, buscando referências de outros pacientes que já passaram por ela e até mesmo profissionais que conheçam o trabalho desenvolvido. A Rede Clínica da Hipnose já atendeu mais de 5.000 pacientes com 93% de sucesso.

Depois disso é importante fazer uma visita ao local. Nesse primeiro encontro, durante a conversa com o profissional, é essencial entender como funciona o processo, se há contraindicação e o tempo estimado de tratamento.

A estrutura da clínica e o atendimento dos demais funcionários também merecem atenção. É essencial saber que está se tratando em um local adequado para não cair nas mãos de um charlatão e assim, não obter os resultados esperados.

Além de tudo isso, é importante que o paciente esteja disposto a se submeter a técnica, confiando no profissional e nas indicações passadas por ele. É somente assim que a hipnose clínica funciona.

Como mostrei neste artigo, a hipnose clínica funciona. Pode ser o principal tratamento para diversos problemas como depressão, transtornos de ansiedade e fobias. Mas para que faça o efeito esperado é importante que a técnica seja desenvolvida por um profissional preparado e por isso é essencial procurar por uma clínica especializada que conte com toda a estrutura adequada.

Se tiver outras sugestões de tema ou quiser saber mais sobre o assunto, deixe aqui o seu recado.

 

No passado muita gente sofria com problemas emocionais sem entender ou dar a devida atenção aos sintomas. Hoje o cenário é outro. Já se sabe que o estresse, a depressão, o transtorno de ansiedade, as fobias e tantos outros distúrbios, devem ser levados a sério e têm tratamento.

Alguns casos necessitam da ajuda de um médico, de medicamentos, mas muitos outros podem ser tratados por meio de técnicas terapêuticas. Para quem ainda não conhece, a hipnose clínica tem efeitos bastante positivos, em curto espaço de tempo e pode ser a resposta para diversos males que vão desde uma depressão até medo de voar.

O que é a hipnose clínica?

A hipnose clínica é uma técnica na qual o profissional, chamado de Hipnólogo Clínico, consegue acessar áreas da mente do paciente para identificar as causas dos problemas e, por meio desse acesso, modificar a percepção que a pessoa tem daquela situação.

O método leva a pessoa a um estado modificado de consciência, como se ela estivesse dormindo, mas não é sono e sim um estado ainda mais ativo da mente. Assim há um aumento da receptividade à sugestão e por isso o profissional consegue alterar os recursos da mente, adequando-o a uma nova realidade.

O tratamento não é invasivo e não tem contraindicação. Mas, é importante fazer uma avaliação para determinar o número necessário de consultas, pois há pessoas mais e menos resistentes a hipnose clínica.

Para que problemas a Hipnose Clínica é indicada?

De modo geral, a hipnose clínica é indicada para todo tipo de problema. Entre eles: anorexia, ansiedade, aprender idiomas, autoestima, bulimia, dependência química, depressão, dores crônicas, ejaculação precoce, enxaqueca, estresse, fobias, impotência sexual, insônia, medo de dirigir, medo de falar em público, medo de voar, memorização para concursos, parar de fumar, problemas de relacionamento, sexualidade da mulher, síndrome do pânico e transtorno obsessivo compulsivo (toc).

A hipnose clínica, assim como outras técnicas terapêuticas, é indicada para tratar quase tudo. Isso acontece porque a técnica consegue acessar a mente inconsciente que a pessoa muitas vezes bloqueia ou não consegue recuperar.

Trata-se de memórias e sensações de situações de estresse, medo e ansiedade que, quando acionadas, mesmo de modo inconsciente, afetam a reação diante do novo fato. É como se a pessoa revivesse o momento em que o trauma foi instalado.

No caso de problemas como a depressão, bulimia, anorexia, dependência química e síndrome do pânico, a hipnose clínica costuma estar associada a outros tratamentos. Sendo assim, atua como complemento de medicamentos, entre outras intervenções.

Para cada problema, o hipnólogo agirá de uma maneira específica de tratamento, mas a técnica é utilizada sempre da mesma forma, sem reações adversas. Pessoas com problemas auditivos ou deficiência mental podem ter mais dificuldade em comparação a outras.

O método também pode ajudar na terapia de casal e, em alguns casos ser utilizado para regressões ao passado.

Como mostrei neste artigo, a hipnose clínica pode ser recomendada em diversas situações, como depressão, fobias, ansiedade. Em alguns casos pode ser o único tratamento indicado, tudo dependerá de cada caso. Cada vez mais aceita dentro do campo da medicina, a técnica consegue obter resultados mais rápidos que as terapias convencionais, além de não ser nem um pouco invasiva. Mas a hipnose não é feita médico e sim pelo hipnólogo clínico. Os médicos costumam indicar seus pacientes para os hipnólogos clínicos para agirem de forma complementar nos pacientes.

 

Saiba mais sobre a hipnose clínica acompanhando o nosso blog, onde também é possível deixar sugestões para outros temas.

 

A hipnose clínica é um tradicional tratamento complementar para uma série de problemas emocionais. Apesar dos ótimos resultados atingidos por essa modalidade de tratamento, que traz a qualidade de vida e a alegria para milhares de pessoas, ainda há quem tenha medo ou receio da hipnose clínica.

Boa parte dessa insegurança vem dos mitos relacionados a hipnose, por exemplo, o de que o hipnólogo controla todas as ações e atitudes do paciente durante as consultas. Essa informação é totalmente errônea, pois o paciente permanece altamente concentrado durante a transe, respondendo a tudo o que está acontecendo, podendo sair desse estado a qualquer momento.

Se você tem interesse por esse tratamento, mas ainda possui um certo receio da hipnose clínica, não deixe de ler os cinco motivos que listei a seguir que te ajudarão a acabar de vez com esse medo.

1. Técnica segura

Um dos fatores que deixam os pacientes com mais receio da hipnose clínica é a questão da segurança do tratamento. Devido a exposição inadequada da hipnose em alguns programas televisivos e em shows, a técnica não é vista pelas pessoas como uma opção de tratamento complementar.

Para acabar com esse medo, eu destaco que a hipnose clínica é reconhecida desde o fim da década de 90 como uma alternativa de apoio ao tratamento médico feita não pelo médico, mas por hipnólogos clínicos. A conquista da certificação emitida pelo Conselho Federal de Medicina do Brasil veio após excelentes resultados alcançados por profissionais especializados em hipnose clínica, comprovados por meio de estudos e pesquisas sobre o tema.

2. Eficácia no tratamento de diversas problemas emocionais.

O receio da hipnose clínica pode acabar afastando as pessoas de um tratamento rápido e seguro, que ajuda a vencer uma série problemas emocionais.

Desde o reconhecimento do Conselho de Medicina, a hipnose clínica vem sendo utilizada em todo o país como tratamento complementar eficiente para síndrome do pânico, TOC, anorexia, ansiedade, fobias, depressão, dependência química, entre outras doenças.

3. Fuja do receio da hipnose clínica que você pode até deixar do uso de medicamentos com orientação do seu médico.

Um dos diferenciais da hipnose clínica é que ela oferece um acompanhamento não invasivo e livre do uso de medicamentos. Em tratamentos de depressão e síndrome do pânico, por exemplo, é comum os pacientes tomarem remédios para controlar as crises, porém muitos temem ficar dependentes dessas substâncias.

Isso não ocorre com a hipnose clínica, que tem como foco ajudar os pacientes a analisarem as suas vidas, entenderem quais as questões estão levando a esse problema e criar novos significados para elas.

4.Tratamento complementar para todas as pessoas

A hipnose clínica é uma técnica recomendada para boa parte das pessoas. Cerca de 90% dos indivíduos são passíveis de serem hipnotizados, sendo que alguns entram nesse estado mais rapidamente do que outros. A única restrição para o tratamento por meio da hipnose clínica são para os pacientes com deficiência auditiva ou mental graves.

5. Resultados surpreendentes

Mesmo com muitas pessoas ainda tendo receio da hipnose clínica, o tratamento vem alcançando resultados excelentes e até com melhor eficácia do que terapias convencionais. De acordo com pesquisa publicada pelo psicólogo americano Alfred A. Barrios, na American Health Magazine, os ganhos da recuperação de pacientes tratados por hipnose em comparação com outras terapias são surpreendentes, confira abaixo:

Apresentei neste artigo os cinco motivos para não ter medo ou receio da hipnose clínica. Se você se interessou pelo tratamento e quer saber mais, entre em contato conosco pelo site ou deixe sua pergunta nos comentários que retornarei o quanto antes.

Todos nós já passamos alguma vez na vida por uma situação que nos causou ansiedade. Esse é um sentimento comum em vários momentos do cotidiano, por exemplo, quando estamos esperando por uma resposta sobre algo importante ou quando estamos perto de apresentar um trabalho em público.

Porém, quando a ansiedade passa daquele “frio na barriga” em situações específicas e se torna algo recorrente na vida da pessoa, vindo acompanhada de tensões extremas, falta de controle sobre os pensamentos, pavor e pessimismo, estamos diante de um transtorno de ansiedade.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), esse problema atinge 33% da população em todo o mundo. No Brasil, o Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (Ipom), aponta que quatro em cada dez brasileiros sofrem com transtornos de ansiedade.

Se você vem apresentando os sintomas desse problema no seu dia a dia, confira a seguir o artigo no qual eu explico o melhor tratamento para ansiedade.

A hipnose clínica atua diretamente na causa do problema

Quando pensamos no melhor tratamento para ansiedade, logo vem a mente os medicamentos antidepressivos e a psicoterapia. Ambos são bastante utilizados nos dias de hoje e possuem seus benefícios. O que muitas pessoas não sabem é que a hipnose clínica também é um tratamento complementar para a ansiedade bastante eficiente.

O diferencial dessa técnica é que ela atua na identificação das causas que geram a ansiedade e outros distúrbios nos pacientes, como insônia, depressão, crises de pânico, fobias e problemas físicos.

Durante as consultas, o hipnólogo clínico estimula o paciente a entrar em um estado modificado de consciência, em seguida, ele se dedica a descobrir as causas emocionais  que levaram aos problemas de ansiedade. Por fim, o  hipnólogo inicia o processo de dissociação das reações exageradas que geram as crises de ansiedade.

Com o tratamento complementar por meio da hipnose clínica, os sintomas que atrapalham o andamento da vida das pessoas são minimizados já nas primeiras consultas, ajudando o paciente a reequilibrar o seu estado emocional e a voltar a ter alegria e tranquilidade para viver.

Melhor tratamento para ansiedade: Uma das melhores alternativas mantém o paciente longe do uso de medicamentos

Ficar dependente de medicamentos para a ansiedade é um dos medos das pessoas que sofrem com esse problema. Porém, esse receio não está presente no melhor tratamento para ansiedade: a hipnose clínica.

Todas as consultas são seguras e totalmente livres do uso de medicamentos. O tratamento da ansiedade com a hipnose clínica é personalizado para cada paciente e indicado para todos que sofrem com problemas emocionais.

Mas para usufruir de todos os benefícios do tratamento para ansiedade é necessário buscar por clínicas e profissionais especializados, que possam assumir com segurança o papel de ajudar os pacientes a analisarem as suas vidas e a entenderem quais as questões que mais os prejudicam e lhe causam ansiedade.

Você acabou de ler neste artigo, sobre o melhor tratamento para ansiedade, os principais benefícios que tornam a hipnose clínica o uma das melhores alternativas. Se você quer continuar aprendendo sobre o assunto, confira no meu blog o artigo sobre como agir nas crises de ansiedade!

 

  • Assine nossa newslettere receba conteúdos exclusivos